LIMPEZA

quinta-feira, 31 de março de 2016

DESVITALIZADA

EXAURIDA E DESVITALIZADA
cansaaada...
NEM NOVELA,NEM JORNAL, NEM NADA
desanimaaaada...
FUI SUGADA ?
parada...inerte...largada.

Sansão perdeu a força quando lhe cortaram o cabelo
terei perdido a minha quando me extrairam os molares?

estranho...sinto-me abatida e sonolenta mal consigo clicar no teclado
Hááá...quisera ter o dom de escrever com o pensamento
seria bom demais materializar sem movimento.

                                                                         PenhaBoselli* /Maat / 2016

quarta-feira, 30 de março de 2016

POETA

  O POETA CONSEGUE VIVER
                      SEM AMOR
                               SEM TESÃO
                                        SEM PERDÃO
                                                 SEM EMOÇÃO
                                                          SEM ORAÇÃO.

O POETA É ZUMBI DE SIM MESMO
   ASSOMBRAÇÃO DA PRÓPRIA ALMA
       BUSCADOR INCANSÁVEL DE NOVOS VERSOS
            NOVAS PALAVRAS E RIMAS MIRABOLANTES

O POET
A É UM ARTISTA INQUIETO QUE BUSCA ININTERRUPTAMENTE IDÉIAS E PALAVRAS PARA ELABORAR UM TEXTO,UMA HISTÓRIA,UM VERSO.
QUANDO CRIA ALGUMA COISA NOVA,SENTE-SE FELIZ E ALIVIADO.ENTRA EM UM ESTADO DE EXTASE QUE SÓ OS POETAS CONHECEM.
AGORA...QUER DERROTAR UM POETA? DEIXÁ-LO CONFUSO E FRAGILIZADO? FAZE-LO SENTIR-SE UM TRAPO ?
TIRA-LHE A INSPIRAÇÃO. E VERÁS QUE O QUE SOBRA, É UM SER HUMANO INCOMPLETO,DEFICIENTE E CABISBAIXO,COM UMA AUTO ESTIMA QUE DESPENCA VERTIGINOSAMENTE,DEIXANDO A VIDA SEM SENTIDO,SEM RAZÃO DE SER.
Éééé... O poeta vive sem AMOR,sem
TESÃO,sem PERDÃO,sem EMOÇÃO e sem ORAÇÃO.Mas não vive nem sobrevive sem
INSPIRAÇÃO.

                                                                                      PenhaBoselli* Maat / 2016

quinta-feira, 3 de março de 2016

A ROSA E A ARANHA

Poderia ser a rosa…se quisesse ser cheirosa.
Poderia ser a aranha…se quisesse ser estranha.
Mas resolvi ser a fotógrafa e ficar do lado de cá

Ser observadora e apenas fotografar.

                                                                       
                                                                        PenhaBoselli* / Maat / 2015